Diástase - Ultima cirurgia plástica do mês

 

A resenha de hoje

A minha paciente foi uma mulher de 35 anos, mãe de 02 filhos, psicóloga, com queixa de excesso de pele no abdome ,”abdome alto”, gordura acumulada nos culotes, cintura, costas e braços. No exame físico também identifiquei uma hérnia umbilical . Com 1.59m., 58kg, 74cm de cintura e 101 quadril, programamos uma hidrolipo dessas regiões associada a uma abdominoplastia.

A cirurgia foi realizada sob anestesia geral e durou 5h. O volume total aspirado foi de 5,5 litros. A Abdominoplastia foi feita com a cicatriz embaixo da cicatriz prévia da cesárea. Realizamos o tratamento da hérnia umbilical e a correção da diástase abdominal que causava a impressão da ter uma “barriga grande” , mesmo ela tendo um peso adequado p/ a sua altura. Os músculos estavam afastados cerca de 4cm. Ao fim da cirurgia, a nova medida de cintura da paciente foi para 69cm. Utilizamos dreno nas costas e no abdome – serão retirados após 7 dias . A cicatriz foi fechada com fita + cola cirúrgica.

O que é diástase?

A diástase é nada mais que o afastamento dos músculos. No caso do abdome ,o principal músculo afastado é o reto abdominal, embora os músculos oblíquos possam sofrer com a diástase também. Sedentarismo, ganho de peso, alimentação não balanceada e a gestação podem causar a diástase do m. reto.As manifestações da diástase vão além das alterações estéticas: alteração do transito intestinal com distensão abdominal após alimentar-se, prisão de ventre, dor na coluna com mudança de postura e alteração da vida sexual. Nos casos mais graves, onde o afastamento é grande, somente a cirurgia irá resolver. Pode ser tratada a diástase via abdominoplastia, mini-abdominoplastia ou sem cicatrizes, por vídeo, naquelas mulheres que não tem pele para ser retirada.