País é o segundo no ranking mundial de plásticas, atrás apenas dos EUA.
Cirurgia mais realizada em 2011 entre brasileiras foi lipoaspiração.

Prótese de silicone para o glúteoO Brasil é líder mundial no número de colocação de prótese no glúteo (gluteoplastia), rejuvenecimento vaginal, também chamada de cirurgia íntima, e procedimento cirúrgico para corrigir as “orelhas de abano” (otoplastia), segundo dados divulgados em janeiro pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica (ISAPS, na sigla em inglês), referentes ao ano de 2011, o último período avaliado pela instituição.

Naquele ano, 21,4 mil brasileiras aumentaram o bumbum, 9 mil mulheres aderiram ao rejuvenescimento do órgão sexual e 28 mil pessoas corrigiram as orelhas. Os números são bastante superiores aos registrados nos Estados Unidos, por exemplo, que é o campeão em cirurgias plásticas no mundo, onde foram realizadas 5,9 mil gluteoplastias, 2,4 mil cirurgias íntimas e 7,8 mil otoplastias.De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, José Horácio Aboudib, o Brasil é pioneiro quando o assunto é cirurgia no bumbum. O número desse procedimento aumentou 367% nos últimos quatro anos, segundo a entidade.

“A técnica atual foi desenvolvida no Brasil há cerca de cinco anos. A técnica anterior, desenvolvida no México, apresentava muitos problemas, porque a prótese ficava embaixo da pele. Já a técnica brasileira coloca a prótese dentro do músculo, onde fica bem mais firme e não é tão perceptível”, explica Aboudib.

O médico atribui o aumento vertiginoso desse tipo de cirurgia entre as brasileiras aos bons resultados obtidos pela nova técnica que, segundo ele, foi desenvolvida inicialmente pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). “Antes disso, os pacientes tinham muitos problemas porque a prótese saia do lugar e era preciso fazer correções”, explica.

Já o rejuvenescimento vaginal consiste basicamente na cirurgia para corrigir alterações no tamanho dos lábios, por exemplo, a redução dos pequenos lábios, quando eles ultrapassam os grandes lábios, explica o médico.

“A cirurgia retira esses excessos de pele para deixar a vagina com outro aspecto. Há uma inibição de muitas pacientes como essa situação quando estão diante do parceiro sexual. Há casos também em que o excesso de pele gera incomodo durante a relação”, argumenta Aboudib.


Tabela glu2Ranking Mundial

Em números absolutos, o Brasil é o segundo no ranking de cirurgias plásticas, com 905 mil procedimentos realizados em 2011, atrás somente dos Estados Unidos, que registrou 1,1 milhão.

“Quantitativamente os EUA tiveram um número de operações superior ao do Brasil, no entanto se levarmos em consideração a população total dos dois países, veremos que o número de cirurgias per capita em ambos é muito próximo, apesar do poder aquisitivo dos americanos ser muito superior”, afirma o Dr. Aboudib.

Ao todo, foram contabilizados em 2011, 6,3 milhões de cirurgias plásticas no mundo. Os dados levantados pela ISAPS levaram em contas informações fornecidas por 996 cirurgiões plásticos, entre eles 431 americanos e 172 brasileiros.

“O conceito de saúde da OMS (Organização Mundial de Saúde) diz que ela é o bem estar físico, social e mental. Não adianta ter um coração funcionando bem, se a pessoa não se sente bem consigo mesma. Esse conceito também inclui a estética”, defende Aboudib.

 

As mais pedidas
A lipoaspiração continua sendo a cirurgia mais popular entre os brasileiros. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica houve um crescimento de 129% no número dessas operações entre 2007 e 2011. Neste último, foram contabilizadas 211 mil. “Sempre foi o procedimento mais comum entre o público feminino e masculino”, lembra Dr. Aboudib.

Mulher na praiaApós a operação para retirada de gordura, as cirurgias estéticas mais realizadas pelos brasileiros são: aumento de mamas (148 mil, em 2011), abdominoplastia (95 mil) e blefaroplastia (90 mil) – retirada de excesso de pele nas pálpebras.

 

Os dados foram coletados antes da polêmica envolvendo as próteses mamárias no final de 2011, que levaram a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a cancelar o registro dos produtos da marca PIP, após testes internacionais mostrarem que algumas unidades do produto foram adulteradas com silicone industrial, que é impróprio para a saúde.

Fonte: G1- Bem Estar – Aline Lamas

 

Comentários  sobre a matéria por Dr. Moises De Melo:

Bumbum perfeito é  o  sonho  de qualquer mulher. Essa perfeição pode ser atingida de diversas formas,  seja através de exercícios físicos  globais ou localizados. Há ainda a possibilidade de se  recorrer a procedimentos cirúrgicos,  como por  exemplo  a lipoescultura da região glútea ou  a gluteoplastia de aumento  com  prótese de silicone.

No  caso  da lipoescultura da região  glútea  realizamos  a lipoaspiração da região  lombar e culotes e  junto  com  a gordura aspirada de outras regiões do  corpo( p.ex. abdome, cintura, etc)  reinjetamos  essa gordura no  bumbum  para remodelarmos e deixá-los com  uma forma mais  arredondada e proeminente. A gordura injetada nessa região  nunca ultrapassa 200-250 ml por  glúteo.

Quando  a opção  é pelo uso  de prótese,   realizamos  essa cirurgia com uma incisão entre os  glúteos de forma a ficar mascarada,  inaparente  e confeccionamos uma bolsa dentro  do  músculo  que irá abrigar próteses de até 450 ml.

Normalmente a paciente retorna as suas atividades físicas dentro  de 15 dias  e passar a levar uma vida normal  sem qualquer restrições de atividade física .

A cirurgia quando  bem  realizada é praticamente  impossível  de ser identificada,  mesmo quando  a paciente encontra-se  em  trajes de praia.