Confira os cuidados necessários para conquistar o bronzeado perfeito, em todos os tons de pele, evitar rugas, queimaduras e até mesmo câncer de pele.

Mulher tomando sol

Com a chegada do verão, começa mais uma maratona: a busca pelo bronzeado perfeito. Uma pele dourada, sem  manchas de sol e descascar é preferência nacional. Segundo Luciana Conrado, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SP), para se bronzear é preciso que haja algum grau de agressão à pele, nesse caso, causada pela luz do sol. “A pele só muda de cor, escurece (se bronzeia), porque, após sofrer a agressão dos raios solares, ela responde com algum grau de inflamação e, ao final desse processo, ocorre a liberação de melanina, o pigmento que dá a cor”, explica a médica.

A produção de melanina depende do fototipo de cada um, ou seja, da cor, sendo que a pele mais clara produz menos melanina e a mais morena é capaz, naturalmente, de produzir mais. “Portanto, a pele que produz mais melanina (morena) responde melhor a qualquer exposição ao sol, bronzeando mais rápido”, complementa. Na prática, significa que o ideal é se proteger bem para evitar queimaduras, não descascar e manter uma cor bonita por mais tempo. O bronzeamento deve ser feito de maneira gradual e sempre com proteção, principalmente nos primeiros dias, pois a ação dos raios no estímulo da melanina só ocorre 48 horas depois da primeira exposição.

 

Pele  muito branca

Sinal vermelho! “Este tipo de pele não deve se expor ao sol com fins de bronzeamento. Para ela, não há grau de bronzeado seguro, porque, em outras palavras, é um tipo de pele que não produz melanina para se colorir. O que acontece, se ela toma cinco minutos de sol, é aquele tom rosado que significa ’pequeno grau de queimadura’ e não ‘bronzeado’”, comenta Luciana Conrado.

Exemplos de filtro solar

 

Dica: “Evite exposição direta ao sol e, diariamente, use bloqueador solar com, no mínimo, FPS 50. Se quiser ficar bronzeada, a sugestão é utilizar autobronzeador”, aconselha Alexandre Filippo, dermatologista e coordenador do Departamento de Laser da Sociedade Brasileira de Dermatologia (RJ). Os autobronzeadores são produtos que contêm di-hidroxiacetona (DHa), uma molécula parecida com o açúcar, que reage com a queratina e dá à cútis uma pigmentação marrom. No mercado há várias opções disponíveis, como a Loção Corporalitè Bronzè, Biomarine (R$ 108) e aNatura Fotoequilíbrio Emulsão Autobronzeadora Hidratante.

 

 

 

Pele branca

Vá com calma! “Esta pele se queima facilmente e se bronzeia ao mínimo. Então, é preciso expor-se ao sol da manhã até as 10 horas, ou ao final da tarde após as 16 horas, no máximo, até 15 minutos por dia com protetor FPS 30, durante 10 dias. Após esse período, usar um protetor com FPS 60, no mínimo. O bronzeamento tem de ser lento e progressivo”, diz Alexandre Filippo.

Mais exemplos de filtro solar

 

 

 

Dica: Para reforçar as defesas da pele contra os raios solares e ajudar a conquistar um bronzeado bonito,Solange Teixeira indica, além do protetor solar, a ingestão de nutricosméticos à base de licopeno, betacaroteno e vitaminas C e E. O ideal é começar a tomar uma vez ao dia, três semanas antes e durante todo o período de exposição solar. Algumas sugestões à venda são Innéov Solar, L’Oréal/Nestlé (R$ 105),Tan Optimezer, Imedeen(R$ 103) e Sun Rescue, Nutricé (R$ 92).

 

 

 

Pele morena clara com  tendência a manchas

Atenção às manchas! “Esse tipo de pele pode ficar por até 20 minutos — até às 9 horas e depois das 16 horas — ao sol com filtro solar com FPS 15, no mínimo. Após esse período, a proteção sobe para 30 e o filtro solar deve ser reaplicado a cada duas horas. “Se esta pele tiver tendência a manchas, o fator de proteção deve ser de, no mínimo, 60, com a indicação no rótulo do produto de proteção contra os raios UVA”, alerta Solange Teixeira.

Protetor solar para a pele

 

 

 

Dica: “Ficar exposta ao sol enfraquece a pele que sofre deterioração do manto hidrolipídico, provocando ressecamento e desnutrição. Para manter o bronzeado impecável e por mais tempo, é necessário aplicar na cútis princípios ativos altamente hidratantes e nutritivos”, afirma Solange Teixeira. A hidratação começa pelas bases biocompatíveis compostas de óleos e manteigas vegetais, enquanto que a nutrição se dá pelos oligoelementos, como zinco, manganês, magnésio, cobre, cálcio e outras substâncias responsáveis pelo equilíbrio biológico dos tecidos.

 

 

Pele morena

Sol da manhã! A pele morena pode se expor ao sol até às 10 horas, com um protetor solar 15 no rosto e no corpo todos os dias, mas reaplicando a cada duas horas. O ideal é começar com 30 minutos por dia na primeira semana e, depois, aumentar 30 minutos a cada semana.

 

Protetor solar para a pele negra

 

 

 

Dica: “A pele morena já tem uma tendência natural ao ressecamento e, sob o sol, a situação piora se não houver reposição de água adequada. O resultado é previsível: a pele começa a repuxar e, em pouco tempo, descamar. Para garantir uma boa hidratação, invista em cremes à base de ureia, lactato de amônia, aloe vera e ceramidas. Passe o hidratante, espere secar e, sobre ele, aplique o filtro solar”, ensina Solange Teixeira.

 

Pele negra

Não abuse! “Muitas vezes, quem tem pele escura acredita estar protegido porque não se queima. Na verdade, a queimadura ocorre da mesma forma, e com os mesmos riscos. Só que é menos percebida. Portanto, também é importante tomar cuidado”, alerta Luciana Conrado. O ideal é se proteger com filtro solar, no mínimo, 15, e ficar exposta por 40 minutos na primeira semana e depois ir aumentando.

Alguns exemplos de protetores solar

 

 

 

 

 

 

Dica: Pele negra pode manchar com facilidade, por isso, no dia a dia, o ideal é usar um filtro com cor e FPS 60. Para evitar que as áreas mais ressecadas fiquem esbranquiçadas, passe um hidratante à base de uréia (10%) todos os dias.

 

 

 

 

Mulher com pele bronzeadaSegundo Alexandre Filippo, manchas que coçam, descamam ou sangram devem ser avaliadas por um médico. Pintas ou marcas assimétricas, com bordas irregulares ou de cores variáveis — preta, castanha e avermelhada em uma mesma lesão — também devem ser examinadas. “A cada três meses recomenda-se que a pessoa faça um autoexame, ou seja, com a ajuda de um espelho de mão e outro de parede você pode examinar o corpo todo. Porém, é fundamental que, pelo menos uma vez ao ano, as pintas sejam vistas por um dermatologista”, explica o médico. O câncer de pele é o mais frequente entre todos os tumores existentes, sendo que o melanoma é o mais agressivo de todos eles.

Você sabia?

■ O câncer de pele é o mais frequente no Brasil e corresponde a 25% de todos os tumores malignos registrados no País.
■ A doença apresenta altos percentuais de cura, se for detectada precocemente.
■ O câncer de pele é mais comum em pessoas com mais de 40 anos, sendo relativamente raro em crianças e negros, com exceção daqueles já portadores de doenças cutâneas anteriores.
■ Pessoas de pele clara, sensível à ação dos raios solares ou com doenças cutâneas prévias, ainda são as principais vítimas.
■ Em 2010, a Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele da Sociedade Brasileira de Dermatologia detectou que 63,53% dos brasileiros se expõem ao sol sem proteção.

 

Se você está pensando em recorrer ao autobronzeador para conquistar “aquela cor” em minutos, fique ligada no conselho da dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Solange Teixeira (SP), para não ficar com a pele manchada.

Dica: Um dia antes faça uma esfoliação para a pele ficar mais homogênea. No dia seguinte, tome banho e passe um hidratante no corpo todo, mas priorizando as regiões mais secas como cotovelos e joelhos. A pele hidratada permite que o autobronzeador espalhe melhor e o resultado fica mais uniforme.

 Fonte: http://corpoacorpo.uol.com.br//corpo-e-rosto/cuidados-com-o-corpo/como-conquistar-o-bronzeado-perfeito