Lipoaspiração e lipoescultura

Lipoaspiração e lipoesculturaExiste uma certa confusão entre os termos: lipoaspiração e lipoescultura. Geralmente são conceituais e pode-se dizer que trata-se de mesma conduta. A lipoaspiração é o recurso utilizado para a confecção da lipoescultura (independentemente se realizada somente a retirada da gordura ou a sua reintrodução em outras áreas).

Lipoaspiração

A cirurgia para lipoaspiração ou lipoescultura consiste na retirada de gordura do corpo, no espaço entre a pele e os músculos, de forma a reduzir os acúmulos em locais considerados não estéticos, com ou sem a reintrodução desta, com o objetivo de melhorar o contorno corporal.

É realizada através de pequenas incisões na pele, que permitem a introdução de uma cânula que, conectada ao lipoaspirador realizará a aspiração da quantidade desejada ou possível de gordura.

Há uma quantidade máxima de gordura que pode ser seguramente aspirada (retirada) de cada paciente, a qual depende basicamente da técnica utilizada, de características do próprio paciente e de seu peso corporal.

Usualmente, a técnica que utiliza infiltração com solução salina previamente à aspiração de gordura (popularmente conhecida como “hidrolipo”)- que na maioria das vezes é a mais utilizada-permite a retirada de maiores volumes de gordura, ainda, é claro, dentro de um limite de segurança.

O contorno corporal é alterado, mas esta alteração é limitada pela espessura do tecido gorduroso apresentado. Grandes quantidades de tecido gorduroso em todo corpo, atrapalham o resultado, proeminências ósseas ou contorno muscular não poderão ser alterados com esta técnica cirúrgica. Ex.: quadris largos continuarão assim, sem forem por estrutura óssea, assim como a barriga poderá continuar projetada, se houver associação de flacidez muscular ao acúmulo de gordura.

A lipoaspiração e lipoescultura não causa, por si só, qualquer patologia conhecida.

É uma cirurgia que ter por objetivo a melhora do contorno corporal.

 

Dúvidas frequentes sobre lipoaspiração e lipoescultura

P: Quantos quilos vou emagrecer com a lipoescultura?

R: Sendo uma cirurgia que retira determinada quantidade de gordura, evidentemente haverá uma redução no peso, que varia de acordo com o volume corporal de cada paciente. Não são, entretanto, os “quilos” retirados que definirão o resultado estético, mas sim as proporções que cada área determinada mantenha com o restante do tronco e os membros. A avaliação correta envolve três  itens: qualidade da elasticidade da pele, quantidade de gordura e sua localização, nos permitem avaliar o resultado. Há casos, em que o(a) paciente está com o peso acima do normal. Recomendamos um equilíbrio prévio, antes da cirurgia, o que nos leva a aconselhar àqueles(as) que assim se apresentem a prosseguir com um tratamento clínico ou fisioterápico prévio. Existem casos em que retira-se gordura de certas áreas e reinjeta-se esta gordura retirada sob condições assépticas em outras regiões que necessitam aumentar seu volume. Parte dessa gordura poderá se reabsorver. É impossível se prever o percentual de permanência dessa gordura; entretanto, são dedicados cuidados especiais no tratamento dessa gordura, a fim de propiciar maior possibilidade de sucesso.

P: A lipoescultura deixa cicatriz muito visível?

R: As cicatrizes resultantes de uma lipoescultura ou lipoaspiração são mínimas, localizadas em diversas partes do corpo, de modo a permitir acesso às áreas a serem operadas. Seu tamanho varia entre 5 a 8 milímetros e são planejadas para ficar pouco visíveis. De toda a maneira, vamos dar uma explicação sobre a evolução de uma cicatriz, seja ela decorrente de esta ou aquela cirurgia. Assim é que:

PERÍODO IMEDIATO: Vai até o 30º dia e apresenta-se com aspecto excelente e pouco visível. Alguns casos apresentam discreta reação aos pontos ou ao curativo.

PERÍODO MEDIATO. Vai do 30º dia até o 12º mês. Neste período haverá espessamento natural da cicatriz, bem como mudança na tonalidade de sua cor, passando de “vermelho” para o “marrom”, que vai, aos poucos, clareando. Este período, o menos favorável da evolução cicatricial, é o que mais preocupa as pacientes. Como não podemos apressar o processo natural da cicatrização, recomendamos às pacientes que não se preocupem, pois o período tardio se encarregará de diminuir os vestígios cicatriciais.

Período Tardio: Vai do 12º ao 18º mês. Neste período, a cicatriz começa a tornar-se mais clara e menos consistente atingindo, assim, o seu aspecto definitivo. Qualquer avaliação do resultado definitivo deverá ser feita após este período.

P: Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo?

R: Na resposta anterior foram feitas algumas ponderações sobre a evolução da cicatriz. Resta, ainda, acrescentar algumas observações sobre as áreas tratadas, no que tange à sua consistência, sensibilidade, volume, etc.

Nas primeiras semanas ou mesmo meses, essas áreas, além de estar sujeitas a períodos de “inchaços”, poderão apresentar alguns pontos mais densos que outros. Esses geralmente só são perceptíveis à palpação e tendem a desaparecer após o 3o. mes. Com o decorrer dos meses, tendo-se realizado as devidas drenagens linfáticas e os exercícios orientados para modelagem, vai-se gradativamente atingindo o resultado definitivo. Nunca se deve considerar como definitivo qualquer resultado, antes de 6 a 9 meses do pós-operatório.

lipoaspiração -  gordura sob a região do estomago e gordura abdominalP: A lipoaspiração corrige aquele excesso de gordura sobre a região do estômago?

R: Geralmente sim. Dependendo do seu tipo de tronco (conjunto tórax + abdome), poderemos ter um resultado bastante natural .
Também tem grande importância, sob este aspecto, a espessura do panículo adiposo (espessura da gordura) que reveste o corpo.

P: Qual o tipo de maiô que poderei usar, após a cirurgia?

R: Fica a seu critério. Se manequim lhe dirá.

P: Poderei ter filhos futuramente? O resultado não ficará prejudicado?

R: O resultado poderá ser preservado, desde que na nova gestação seu peso seja controlado por especialista. Se você voltar ao seu peso anterior e sua pele não apresentar flacidez e estrias decorrentes da gravidez, as formas obtidas serão mantidas. Devemos salientar, entretanto, que o corpo da mulher sofre variações da forma com o decorrer do tempo, devido à disposição da gordura nas diversas áreas corporais, principalmente no abdome, cadeiras e coxas. Assim é que a cada 5 ou 10 anos, a disposição da gordura no corpo muda de pessoa para pessoa. Mesmo assim, aquele excesso retirado nas áreas devidas, sempre lhe proporcionarão uma melhor evolução, mesmo que V. venha a ganhar certo peso.

P: O pós-operatório da lipoaspiração é muito doloroso?

R: Geralmente não. Uma lipoaspiração ou lipoescultura de evolução normal não deve apresentar dor, desde que obedecidas as orientações pós-operatórias. Eventuais incômodos são resolvidos com a utilização de analgésicos e anti-inflamatórios.

P: Há perigo nesta operação?

R: Raramente a lipoaspiração traz sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente para o ato operatório, além de ponderarmos sobre a conveniência de associação desta cirurgia simultaneamente a outras. O perigo não é maior nem menor que qualquer outra cirurgia eletiva, ou mesmo uma viagem de avião ou de automóvel, e até o simples atravessar de uma rua. Entretanto, é importante levar em conta, que grandes volumes retirados poderão determinar riscos, tanto no ato operatório quanto no pós-operatório. É consenso, na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, que o volume total de gordura a ser retirado por sessão, não ultrapasse a 5 a 7% do peso corporal. Seu cirurgião deverá lhe esclarecer detalhadamente sobre o volume ideal para o seu caso.

P: Que tipo de anestesia é utilizada para esta operação?

R: Anestesia geral, peri-dural ou local assistida. .

P: Quanto tempo dura o ato cirúrgico?lipoaspiração cirurgia plástica

R: Dependendo da extensão das áreas a serem tratadas, o tempo varia de 1 a 3 horas, podendo ser ultrapassado em alguns casos. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois, esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória. Seu médico poderá lhe informar quanto ao tempo total.

P: Qual o período de internação?

R: Dependendo da extensão da área aspsirada e do tipo de anestesia ( local com sedação, peridural , geral ) o período de internação poderá variar de algumas horas até 1 dia.

P: São utilizados curativos?

R: Sim. Curativos semi-compressivos com cintas especiais, mantidos por um período de 30 a 45 dias, em média..

P: Quando são retirados os pontos?

R: Do 4o ao 7o dia.

P: Quando poderei tomar banho completo?

R: Geralmente no dia seguinte à cirurgia.

P: Qual a evolução pós-operatórla?

R: V. Não deve se esquecer que, até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases são características deste tipo de cirurgia. Assim é que, no item 02, foi esclarecido sobre a evolução cicatricial (até o 18º mês). No item 03 sobre a sensibilidade, consistência, etc. Entretanto, poderá lhe ocorrer alguma preocupação no sentido de “desejar atingir o resultado final antes do tempo previsto”. Seja paciente pois seu organismo se encarregará de dissipar todos os pequenos transtornos intermediários que, infalivelmente chamarão a atenção de alguma de suas amigas que não se furtará à observação: “//SERÁ QUE ISTO VAI DESAPARECER MESMO?//”- É evidente que toda e qualquer preocupação de sua parte deverá ser transmitida ao seu cirurgião plástico, e somente a ele, que lhe dará os esclarecimentos necessários, para sua tranqüilidade. Em tempo: Em algumas pacientes, ocorre uma certa ansiedade nesta fase, decorrente do aspecto transitório . Isto é passageiro e geralmente reflete o desejo de se atingir o resultado final o quanto antes. Lembre-se que nenhum resultado deverá ser considerado como definitivo antes dos 6 aos 9 meses.

Condutas complementares em Academias, com esteticistas ou mesmo fisioterapeutas, poderão melhorar bastante o resultado final, pois, a modelagem muscular é um fator de grande importância no novo contorno corporal.

 

Fonte: SBCP. Adaptação: Dr. Moises De Melo