Casos de bullying entre os adolescentes tem sido um grande problema nas escolas. Por isso alguns estudantes, pais e outras organizações estão empenhados em tomar medidas preventivas em um esforço para evitar que o problema continue acontecendo. O caso de Nadia Isle, menina de 14 anos que sofria assédio moral devido a um problema estético em suas orelhas e recebeu uma cirurgia plástica corretiva sem custo, tem suscitado debates e notável controvérsia sobre a idade ideal para a realização de uma intervenção estética.

Para avaliar o sentimento do público sobre a realização de cirurgias plásticas em adolescentes na tentativa de evitar casos de bullying foi realizada uma pesquisa com mais de 650 pessoas.

Os resultados revelam que, embora vários os pais sejam totalmente contrários a cirurgia em adolescentes, estes permitiriam que seus filhos se submetessem a determinado procedimento para aliviar o assédio. 68 % dos entrevistados foram a favor da cirurgia plástica para adolescentes quando se trata de bullying, enquanto 32% se mostraram desfavoráveis. Quando questionado sobre quais os possíveis procedimentos permitidos, 24% mencionaram procedimentos de nariz e orelha.

Seja por causa da intimidação ou outras motivações, os adolescentes são submetidos a um número cada vez maior de cirurgias para modificar sua aparência. Variando do tratamento de cicatriz de acne e depilação a laser para rinoplastia e modificação do corpo em geral, a cirurgia em adolescentes está ganhando popularidade. A Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos Estéticos (ASAPS) informou que cerca de 132 mil cirurgias plásticas estéticas foram realizadas em pessoas entre 13 e 19 anos de idade, em 2011, um aumento de 5 por cento a partir de 2010.

Fonte: Real Self