Abdominoplastia, e sua variante, a mini-abdominoplastia

Mini-abdominoplastia e Abdominoplastia

A abdominoplastia, e sua variante, a mini-abdominoplastia, ocupam o terceiro lugar entre as cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil – são cerca de 80 mil procedimentos por ano.  O envelhecimento natural, a hereditariedade, a gestação e as oscilações de peso  podem ocasionar alterações estéticas e funcionais no abdome,  tornando esse procedimento necessário.

Tanto homens quanto mulheres  podem ter indicação para uma mini-abdminoplastia ou uma abdominoplastia. Mulheres que já tiveram filho ou não  e que desejam no futuro ser mães, podem se submeter, pois essa cirurgia  não acarreta nenhum problema a gestação, embora o resultado obtido com a cirurgia, seja perdido.

O excesso de pele na parte inferior do abdome associado a uma diástase (separação, afastamento excessivo) do músculo reto abdominal são as alterações que mais incomodam os pacientes. Dor abdominal, alteração do ritmo intestinal e assaduras na região são queixas funcionais que podem estar presentes.

Assista esse vídeo sobre abdominoplastia

Como fica o abdome durante a gravidez

Mini-abdominoplastia e Abdominoplastia Abdome antes da gravidez, durante e após o parto

Abdome antes da gravidez, durante a gravidez e após a gravidez. Observe  a separação da musculatura. Em cerca de 30% das mulheres esses músculos não voltam a sua posição inicial após a gravidez.

Na consulta médica com um cirurgião plástico,  ele vai procurar essas alterações e decidir sobre o melhor procedimento a ser  realizado:  uma abdominoplastia clássica ou uma mini-abdominoplastia, baseado na distensão abdominal e na quantidade de pele excedente.

 

Casos diferentes, cirurgias diferentes abdominoplastia e mini-abdominoplastia

 

1: Indicação Mini-abdominoplastia 2: Indicação abdominoplastia clássica

1: Indicação de mini-abdome
2: Indicação de abdominoplastia clássica

 As variantes da abdominoplastia

Mini-abdominoplastia e Abdominoplastia marcação do excesso de pele a ser retirado

Imagens superiores: marcação do excesso de pele a ser retirado.
Imagens inferiores: cicatriz resultante

 

Durante a cirurgia de abdominoplastia (ou na mini-abdominoplastia) os músculos afastados são reaproximados com pontos, refazendo assim  a cinta de contenção abdominal.

Mini-abdominoplastia e Abdominoplastia Musculatura aproximada por pontos

Musculatura aproximada por pontos. Observe a melhora da parte anterior e também da cintura.

 

Na abdominoplastia o umbigo será reconstruído, ao passo que na mini-abdominoplastia não existe essa necessidade. Em alguns casos de mini-abdominoplastia o umbigo precisa ser reposicionado.

Mini-abdominoplastia e Abdominoplastia Retirada do excesso de pele

Retirada do excesso de pele, reconstrução do umbigo e sutura final.

 

É comum associar uma lipoaspiração a uma abdominoplastia ou a uma mini-abdominoplastia, a fim de obter uma melhor definição da parte superior e da cintura abdominal.

Na cirurgia a cicatriz costuma ser extensa, porém tem uma boa qualidade e é facilmente disfarçável, por ficar escondida abaixo da marca do biquini/roupas íntimas.

Mini-abdominoplastia e AbdominoplastiaA  paciente recebe  alta hospitalar de um a dois dias após a cirurgia. Drenos são comumente utilizados.

Normalmente o retorno as atividades habituais ocorre de duas a três semanas.

Os pontos da cirurgia são retirados na terceira semana.

Após um mês a paciente já pode voltar a se exercitar com caminhadas leves. Atividades físicas sem restrições somente são liberadas após sete semanas.

Texto: Dr. Moises De Melo