Prótese de silicone e ressonância

Prótese de silicone ressonância – Quanto tempo devo fazer ressonância de acompanhamento?

Quando uma pessoa se submete a uma cirurgia de implante de prótese de silicone, o acompanhamento da cicatriz e do resultado da cirurgia dura cerca de um ano,   com alta após esse período. Mas como saber se continua tudo certo com sua prótese?

A ressonância magnética é o exame indicado para avaliar as próteses de silicone. O primeiro exame deve ser realizado após três anos da cirurgia e repetido a cada dois anos, caso a paciente não tenha nenhuma alteração ou queixa antes desse prazo.

Vale ressaltar que apesar das próteses  atuais terem garantia vitalícia contra rompimentos e contraturas capsulares graves (causa deformação da prótese e do seios, levando a dor),  as empresas substituem a prótese somente nesses casos e que os outros custos ( equipe médica, hospital) são  por conta da paciente. Apesar dessa garantia vitalicia é  consenso entre os médicos a recomendação de  uma substituição, em média, a cada 15 a 20 anos.

Prótese de silicone ressonância – Quanto tempo devo fazer ressonância de acompanhamento?

As próteses antigas tinham uma recomendação de troca a cada dez anos.

A prótese é um material industrial, e como qualquer outro vai sofrer um desgaste natural em seu corpo e, também, com o passar dos anos, a medicina e a tecnologia evoluem cada vez mais produzindo tratamentos e implantes mais eficazes. Cito um exemplo de automóveis produzidos antigamente comparados  com os atuais para entendermos bem a questão de uma garantia vitalícia e a necessidade de substituição. É como ter um  automóvel produzido nos anos 70: se tiver tido a manutenção correta vai sim rodar perfeitamente, porém não terá a economia de combustível  e segurança de um outro carro produzido nos dias atuais.

Conheça os outros textos sobre a cirurgia de prótese de silicone:

Preço médio da cirurgia;

Orientações da cirurgia de prótese de silicone pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

Dicas para manter seus seios belos.

 

Por: Dr. Moises De Melo.