Precisa de técnicas cirúrgicas naturais para enxugar os pneuzinhos? Sim, é possível se sentir uma obra-prima sem ficar com cara de peça de museu!

 

Antes de decidir, pergunte a si mesmo: quais as razões que me levaram a considerar a plástica?

O Brasil ocupa o segundo lugar em número de cirurgias plásticas, perdendo apenas para os Estados Unidos. A maioria das mulheres está na faixa entre 19 e 35 anos. O sonho de consumo? Seios avantajados, medidas enxutas e abdômen sequinho.

A novidade, entretanto, é que agora muitas delas já começaram a ver a plástica mais como aliada para realçar os traços genéticos ou as conquistas made in academia do que fórmula mágica para nascer de novo.

Por isso investigamos os procedimentos mais seguros e modernos caso você esteja determinada a se livrar de vez daqueles pneuzinhos indesejáveis – mas sem pesar a mão.

 

 

Barriga sequinha

 

Versão light – Hidrolipo quente com cânulas extrafinas

 A inovação apontada pelos médicos como mais eficiente é a hidrolipo com hipertermia, em que as células de gordura são encharcadas de soro fisiológico a uma temperatura de 38 a 40 graus. “A temperatura elevada acelera o metabolismo, permitindo uma coagulação sanguínea mais rápida, ou seja, a paciente sangra menos”, afirma o médico Sebastião Guerra. “Além disso, ao aspirar a gordura, sempre há perda de líquido. Quando se injeta soro nas células, essa perda é reduzida, sendo menos traumática”, completa.

Combinada ao uso de cânulas bem finas (já existem opções com apenas 4 milímetros de diâmetro!), que deslizam com mais facilidade, a técnica permite um trabalho artesanal do cirurgião, capaz de modelar a gordura com precisão – e garantir a barriga gominho que você sempre quis.

Versão heavy – Laserlipólise

O uso de laser na lipo foi anunciado como um milagre, pois o aparelho é famoso por estimular a produção de colágeno, que dá firmeza à pele. “Mas a luz derrete toda a gordura por onde passa, o que não dá precisão ao cirurgião. O tecido fica muito mais suscetível a sofrer ondulações”, aponta Guerra.

Antes da decisão final…

Pergunte a si mesma

Os questionamentos que você deve se fazer para dosar melhor suas expectativas:

· Quais as razões que me levaram a considerar a plástica?

· O que a cirurgia significa para mim: atenuar traços desarmônicos ou resolver frustrações pessoais?

· Tenho uma visão adequada ou delirante do que vejo no espelho?

· Não existem técnicas e tratamentos estéticos que posso tentar primeiro?

· A cirurgia vai manter minha identidade?

· Conheço e dou importância a todos os riscos?

· Escolhi com cuidado o médico? (Avalie cinco pontos que fazem toda a diferença: ética, bom senso, limite, disposição e se o mesmo tem  Título de Especialista em  Cirurgia Plástica.)

 

Pergunte ao seu médico

As dúvidas que você deve tirar com o profissional para reduzir os riscos:

· Você pode me explicar os detalhes da operação, como a possibilidade e o tamanho de cicatrizes, depressões, irregularidades?

· Como vai ser o pós-operatório? Posso ligar para você nesse período?

· Quais os exames que preciso fazer antes da cirurgia plástica?

· Como devo me preparar para a cirurgia?

· Me recuso a operar na clínica. Você atende em qual hospital?

Fonte: www.mdemulher.abril.com.br