Cirurgião plástico verificando orelha feminina

Ninguém observa ou elogia uma orelha, entretanto se essa região chamar a atenção algo provavelmente deve estar errado. Estudos comprovam que o problema conhecido como orelha de abano ocorre em cerca de 5% da população, interferindo na qualidade de vida das pessoas, ao ponto de mudarem seus hábitos: como deixarem de prender os cabelos ou até mesmo pararem de usar determinados penteados, isto no caso das mulheres. Em relação aos homens passam a usar mais frequentemente chapéus e bonés. Esse problema afeta psicologicamente mais aos homens porque estes usam o cabelo mais curto, deixando exposta essa alteração e sendo muitas vezes motivos de chacota no grupo. Esse sofrimento não tem início na idade adulta, pelo contrário, já na infância surgem os primeiros apelidos como “dumbo”, isolando muitas vezes essa criança do convívio social e arrastando esse sofrimento interno até a idade adulta.
A Otoplastia é a cirurgia plástica que corrige as orelhas proeminentes, chamadas popularmente de orelhas de abano, elevando a autoestima dos pacientes. Estudos ingleses mostraram aumento de mais de 90% na autoconfiança, felicidade e convívio social, além da redução em 100% dos casos de “BULLYING” em pacientes que realizaram esse procedimento.
A Otoplastia pode ser realizada com anestesia local ou com sedação associada para um maior conforto do paciente. O procedimento demora em média cerca de duas horas, sendo possível a alta hospitalar no mesmo dia.
Os resultados são surpreendentes e naturais, fazendo com que o problema seja realmente uma página virada na vida desses pacientes.

 

Quem pode fazer a Cirurgia de Orelha de abano:

A cirurgia deve ser realizada por cirurgião plástico em hospitais ou clínicas com o suporte adequado. A orelha aos 3 anos de idade já 85% formada – até os 13 anos esse desenvolvimento continua em espessura (engrossa) e até os 15 anos em comprimento. A idade mínima para realizar a cirurgia é de 05 anos. Vale ressaltar que quando a cirurgia é feita em crianças a anestesia utilizada é sempre a geral.

Os exames solicitados para fazer a Cirurgia Plástica de Correção de orelha de abano:

Na consulta médica, o cirurgião plástico irá examinar o/a paciente, propor um tratamento adequado, explicar como será a cirurgia e a recuperação pós operatória. Após, será realizado um orçamento da Cirurgia. Os exames solicitados são: Hemograma, coagulograma e Eletrocardiograma. Eu sempre solicito, também, um Rx de tórax, sorologia para hepatites e DSTs, além de uma consulta com o cardiologista.

O custo para realizar a Otoplastia e a cobertura pelos planos de saúde:

O custo hospitalar para realizar essa cirurgia é de cerca de R$ 1.700,00 à R$ 2.500,00 com  a internação em um hospital na região da Tijuca, Rio de Janeiro. O Custo com a equipe médica é acessível, não sendo possível informar antes de examinar o paciente. Vale ressaltar que o Conselho Federal  de Medicina proíbe e puni qualquer prática onde valores de tratamento médico são passados sem antes examinar o paciente. Para crianças, os planos costumam cobrir essa cirurgia. É comum a cobertura total dos custos hospitalares e parte do custo da equipe médica, sendo a outra parte custeada pelo paciente ou responsáveis.

Como é feita a cirurgia:

Somente realizo a cirurgia plástica em Hospitais com suporte adequado (UTI), embora seja possível realizar a cirurgia de orelha de abano em clínicas. A cirurgia pode ser feita sob anestesia local puramente ou com uma associação entre anestesia local e sedação ou ainda sob anestesia geral. Atualmente existem mais de 200 técnicas diferentes para a realização da otoplastia. Utilizo uma técnica em que a incisão fica por trás da orelha, na dobra, sendo muito difícil de ser notada por outra pessoa. A cirurgia é voltada para tratar a alteração que incomode o paciente, seja ela a ausência de curvatura adequada ou  diminuir a distância da orelha à cabeça ou ainda a simetrização com a orelha contralateral. Como dito anteriormente, a cirurgia dura cerca de duas horas e o paciente pode ser alta no mesmo dia ou no dia seguinte. Costumo deixar o curativo fechado, com atadura e gaze por dois dias.

 

O pós operatório da Otoplastia

A orelha é uma região do corpo bastante sensível. No pós operatório, nos primeiros sete dias, é necessário o uso contínuo de anti-inflamatórios como a Nimesulida  e analgésicos, que vão desde a Dipirona ou Paracetamol até o mais potentes, como o Cetocoralaco. Pode ser necessário o uso de Codeína se a dor não melhorar. O importante a ser ressaltado é que, apesar da sensibilidade da orelha, qualquer dor surgida no pós operatório dessa cirurgia plástica, pode ser controlada com o uso dessas medicações em doses adequadas. O inchaço e a vermilhadão, bem como as marcas roxas (se surgirem), regridem em duas semanas.

Após o curativo fechado ser retirado, o paciente deve utilizar a “faixa de tenista” por dois meses. Os pontos são retirados entre a segunda e quarta semanas de pós operatório e não costumam deixar marcas. A cicatrização vai estar completa em sete semanas.

 

Faixa com espuma utilizada nos primeiros dias da cirurgia

Faixa com espuma utilizada nos primeiros dias da cirurgia

Faixas coloridas podem ser usadas na cirurgia de otoplastia

Faixas coloridas podem ser usadas na cirurgia de otoplastia

Como dito anteriomente a cicatriz é posterior e imperceptível.

A alteração de sensibilidade da orelha se mantém por cerca de 30 dias, podendo estender-se até  o quarto mês, em geral.

Para quem utiliza óculos, esses são permitidos por cima do curativo.

O retorno às aulas, no caso das crianças, ocorre em sete dias. Já os adultos, podem retornar as suas atividades em cerca de três à sete dias. Atividades físicas são liberadas entre um a dois meses após a cirurgia de orelha em abano, a depender do tipo de atividade.

 

Texto: Dr. Moises De Melo;